---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Equoterapia gratuita para crianças e adolescentes

Publicado em 30/08/2018 às 08:58 - Atualizado em 30/08/2018 às 08:59

O município  iniciou neste mês de agosto um excelente projeto de educação e reabilitação para o Desenvolvimento Físico, Psico-Social e Cognitivo. A equoterapia, ou terapia através do cavalo, serve para estimular o desenvolvimento neuropsicomotor. Esta terapia visa o tratamento de pessoas com necessidades especiais, paralisia cerebral, AVCs, autismo, e até mesmo casos de dificuldade da fala, hiperatividade, déficit de atenção e concentração. A inauguração aconteceu na sexta-feira 24 e contou com a presença de autoridades, profissionais da área, pais, alunos e parceiros do programa. 

A Ideia surgiu em 2012, através da Fisioterapeuta do município. E somente em 2017 o projeto entrou em vigor, quando a Secretaria de Assistência Social abraçou a causa e, buscou recursos para execução do projeto junto ao FIA e colaboradores, como: entidades, empresas munícipes, pessoas físicas e Secretarias do Município, que também foram grandes parceiras para tornar a Equoterapia uma realidade no Município.
O programa é desenvolvido por profissionais capacitados para a atividade, com formação pela Associação Nacional de Equoterapia. Contando com um Equitador e duas Equoterapeutas que possuem também formação em Fisioterapia e Psicologia. O local foi equipado com picadeiro, apresentado também grande área externa, além todos os aparatos para atender o programa. O projeto possui três cavalos cedidos, apropriados e treinados para a atividade. 
Equoterapia é uma terapia que proporciona benefícios a pessoas de todas as idades. Onde o cavalo é utilizado devido apresentar movimentos tridimensionais que se desdobram em ações musculares coordenadas e sincronizadas. Tais movimentos são similares a marcha humana, estímulos que passam a ser incorporados na memória. A cada passo, o cavalo produz 1,25 movimentos por segundo, resultando em cerca de 2.000 ajustes tônicos no praticante em trinta minutos de sessão. As vibrações advindas do deslocamento da cintura pélvica durante o passo são encaminhadas ao cérebro com uma frequência de 180 oscilações por minuto, similar ao fisiológico, feito ainda não conseguido com máquinas produzidas pelo homem. A melhora se dá também com déficits cognitivos, distúrbios psíquicos, de socialização, além de estímulos de comunicação, trabalho de autocontrole, vigilância e atenção, através da interação e trabalhos realizados entre a equipe interdisciplinar, o praticante e o cavalo.